22 setembro, 2013

ROMA


Este é sem duvida um dos destinos que toda gente deveria de conhecer. A única comparação que posso fazer para em palavras tentar descrever todo o seu esplendor é de que se trata de um museu a céu aberto. Ao contrario do que até agora tenho tentado retratar, em Roma não é fácil explorar a cidade num curto espaço de tempo, eu precisei de quase cinco dias (16 a 20 de Setembro de 2013) e mesmo assim vim com a sensação que me esqueci de algo.



O Primeiro conselho que posso dar, e que no final vão constatar que se tornou uma grande ajuda, é que devem de procurar hospedar-se num local o mais central possível e nunca próximo do Termini. (local com ambiente pouco amigável e que devem de evitar, sendo preferível gastar mais alguns euros em outro local do que os perder todos no Termini ao serem assaltados). Assim ao estarem alojados num ponto central da cidade não necessitam de bilhetes de transporte pois é completamente desnecessário porque em cada canto há um pedaço de historia que não vão querer perder, isto já para não falar na ruas intransitáveis a veículos motorizados que de tudo têm para mostrar, por isso levem um bom par de sapatilhas e confortáveis pois vão fazer alguns Km's a pé. O que posso aconselhar é comprar talvez nos últimos dias um bilhete de autocarro turístico, tal como eu fiz para fazer a despedida á cidade e constatar que pelo menos passei por os pontos de maior influencia e que já mais se podem deixar de conhecer num "Museu" como este.



Eu comecei a minha visita pelo Coliseu de Roma, local que temos que visitar duas vez, uma de dia para ir visitar o interior, e outra á noite para recolher uma boa fotografia e admirar o monumento iluminado, depois têm mais um serie coisas a visitar em volta do Coliseu de Roma, tais como o Arco de Constantino, Circo Massimo, Parco Del Colle Oppio, etc., que se tiverem oportunidade (aqui quando digo oportunidade refiro-me a liquidez financeira, pois alguns paga-se entrada) devem visitar pois vale a pena, agora não se percam muito no tempo pois vão precisar dele para outras atrações. Ali próximo têm o Monumento a Vítor Emanuel II da Itália, com entrada livre e quase sempre com exposições de entrada livre também e mais uma vez a circundar este monumento podem encontrar outra atrações como a Basílica de Santa Maria, Praça de Marco Aurelio, Templo de Apollo Sosiano, e por forma a ver esta zona completa com as suas visitas não podem deixar de ir Ilhota Tiberina no Rio Fiume Tevere.




Todo isto que acabam de visitar encontra-se no lado oposto á Cidade do Vaticano, por isso aconselho a que façam algumas caminhadas mesmo pelo Centro Histórico da Cidade, como já tinha referido em cada virar de esquina vão encontrar algo diferente, histórico e impar com qualquer outro sitio que já tenham visitado, no entanto não descorando de tudo o que há para ver no centro da cidade, marquem no vosso mapa como passagem obrigatória Praça Navona, Praça da Rotonda, Pantheon, Igreja de St Ignazio de Loyota, Fonte de Trevi, Fonte da Barcaccia, Trinita dei Monti. Outra coisa que devem ter em atenção e principalmente para que gosta de parar e apreciar a maneira de estar e o estilo de vida dos habitantes locais nada como aproveitar um café numa esplanada das inúmeras praças que existem na cidade e assim aproveitam para descansar um pouco para depois iniciar a caminhada até a Cidade do Vaticano.








Agora que já visitaram grande parte da Cidade de Roma, nada como logo pela manha cedinho partir para a Cidade do Vaticano para evitarem as filas intermináveis, por isso tentem chegar mesmo á hora de abertura da Basílica de São Pedro e mesmo assim não irão ser os primeiros da fila. Aqui não há palavras que descrevam o que os olhos vêm, começando pela emoção que inconscientemente nos ocupa por só vermos a cúpula da Basílica de São Pedro até chegarmos á Praça de São Pedro. Após entrarem na Basílica disfrutem do momento e explorem, informo para quem não sabe que podem subir até ao cimo da cúpula, tendo duas opções a pé por escadas sendo 520 degraus ou por elevador e economizando apenas 200 degraus. Mesmo depois de todas as caminhadas eu não abdiquei de fazer a subida pelos degraus, e aconselho o mesmo. Uma vez no cimo da cúpula apreciem a paisagem, porque depois de todo o esforço e completamente merecido.



Chegado o momento de ir visitar o Museu do Vaticano, e também aqui depois de entrarem simplesmente gozem o momento com calma, e tendo a cabeça constantemente a fazer rotações de 180º na horizontal e na vertical, pois não há nada que não nos fascine, então os tetos esses parecem acabados de polir, e para quem não sabe é aqui no Museu do Vaticano que se encontra a Capela Sistina e os carros utilizados por Sua Santidade o Papa (Papamóvel), por isso não saiam sem procurar bem e encontrar.



Depois de saírem da Cidade do Vaticano têm outro ponto de referencia, principalmente para quem gosta de ler as obras de Dan Brown, e foi ver o filme de Anjos e Demónios, temos assim o Castelo de Sant'Angelo e a Ponte de Sant'Angelo, locais onde foram feitas as gravações do filme.


Agora que já viram praticamente todos os locais de maior relevância e que podem dizer que visitaram Roma, se sobrar algum tempo façam como eu fiz e comprem um bilhete turístico de 24 ou 48 horas e vão como um turista passar por toda a cidade de Roma e do Vaticano, se entretanto virem que se esqueceram de alguma coisa nestes autocarros podem sair e entrar no próximo sem problema algum, eles passam de 10 em 10 minutos.

Dicas Importantes:
  • Refeições: Em Roma tenham cuidado com os menos e informem o funcionário que vos estiver a servir que é mesmo o menu que vocês querem, pois caso contrario vão pagar mais pois em vez de vos servir como "diária" vão servir á dose o que as quantidades são praticamente as mesmas o que difere é o valor da fatura no fim. outra coisa é não estranharem na fatura o "serviço" que isso pagam em 90% dos restaurantes.
  • Transferes: Esses podem comprar logo de ida e volta através da companhia Terravision que presta serviço mesmo á entrada do aeroporto de Ciampino e Fiuminino, fazendo a ultima paragem em Rome Termini Station.


Este foi o meu companheiro durante quase toda a viagem, de nome Maximus. Digo quase porque de uma forma muito irresponsável da minha parte e caricata ao mesmo tempo enquanto olhava para o lada apos lhe tirar uma foto á entrada da Cidade do Vaticano o Maximus foi raptado e até hoje ainda não tive mais noticias.

Agora tu, aproveita a vida sonhando em viajar e viajando para te libertar. 

09 maio, 2013

Barcelona

 
A segunda maior cidade de Espanha, definitivamente a mais cosmopolita e a capital da Catalunha.   A cidade tem o melhor de dois mundos, situada na Costa Brava na costa mediterrânica de Espanha, a cidade desenvolve-se suavemente da costa para as encostas das florestadas. É uma cidade famosa pela sua arte e arquitetura que vislumbram qualquer viajante.
Nesta viagem que decorreu de 5 a 9 de Maio de 2013, apesar de ter viagens e estadia acessíveis, constatei que Barcelona não é de todo o destino mais económico a nível turístico, no entanto com as coisas bem agendadas e tudo marcado/reservado com antecedência é possível fazer uma viagem económica, para que nos permita acrescentar mais uma á nossa necessidade de conhecer novas culturas. 
  


 
 
Se tiverem a oportunidade procurem estadia próximo do centro de Barcelona, pois vai facilitar em muito os acessos para qualquer ponto que vão visitar sem terem que procurar grande transbordos no metro e como já referi com tempo é possível encontrara uma estadia com boa relação Qualidade/Preço. É mais uma cidade onde podem a adquirir um passe turístico (este género de passes existem em quase todas as cidades turísticas com vantagens económicas muito relevantes, para não falar o tempo que se consegue ganhar ao evitar as filas das bilheteiras) no entanto não deixem de fazer bem as contas e pesquisar/agendar o que realmente querem ver ou dão prioridade a visitar pois como já referi não é de todo um destino turístico muito económico e se calhar não seria mal pensado comprarem só o bilhete turístico de Metro. Pois para quem não tem como habito a visita de museus de arte ou até mesmo não tem qualquer conhecimento ou só tem conhecimento de culta geral se calhar há alguns locais dos quais pode abdicar, no entanto não abdiquem do Museu de Picasso, pois esse é artista do nosso conhecimento de cultura geral, e que mesmo para quem não aprecia arte fazer um "check" ao Museu de Picasso é sempre um marco na nossa cultura intelectual.
 
 
 
Podem também aproveitar o dia em que vão visitar o Museu de Picasso para passear e caminha por o Bairro Gótico, também uma referencia turística de Barcelona, mas cuidado e não se percam pois como são ruas mais antigas, a arquitetura é basicamente toda igual e de cores iguais. ao Longo da caminhada por o Bairro Gótico vão encontrar praças onde podem aproveitar para sentar e tomar um café apreciado um bocado o dia a dia do população catalã o sitio mais indicado para isso pode ser sem duvida a Plaza Real. Nessa mesma zona conseguem encontrar a Catedral de Santa Eulalia de Barcelona, lugar de culto religioso e que podem visitar pois não se irão arrepender. Aproveitem também para poder fazer compras de algumas lembranças ao longo das lojas que vão encontrando e um conselho regateiem sempre o preço pois em grande parte das vez têm sucesso. 
 
 
Outro Lugar de Grande relevância em Barcelona passa pela famosa Rua das Ramblas (cuidado com os carteiristas, são profissionais) mais um local onde podem sentar para tomar um café e apreciar os artistas de rua bem como as estátuas humanas. Podem fazer um pouco das Ramblas caminhando até ao Mercado de St Josep - "La Boqueria" para encontrarem um mercado com um conceito completamente diferente do que estamos habituados a ver em Portugal. para finalizar esta zona turística não deixem de visitar a Marina de Barcelona onde podem aproveitar para dar um passeio de teleférico.
 
 
 
Após visitarem a zona sul de Barcelona não pensem que já viram muita coisa pois ainda só chegaram a meio do que a cidade vos têm para presentear por isso como têm o passe de metro apanhem o Metro para a Praça da Catalunha e aí comecem mais uma caminha para visitar as verdadeira obras de arte do Arquiteto Antoni Gaudí começando por a Casa Batllo, a La Pedrera e por fim um pouco mais distante necessitando de apanhar o metro até Joanic e posteriormente um Autocarro vamos visitar o Park de Guell, aqui podem dar um pequeno alio na carteira pois a entrada é livre (ou pelo menos era na época em que eu lá estive).
 
 
Por fim, e alguns já pensariam que estaria esquecido o inigualável Templo Expiatório da Sagrada Família, deixei esta referencia para ultimo por algumas questões muito simples, pois devem tentar chegar lá o mais cedo possível pois caso contrario estão horas nas filas, e dedicarem bastante tempo a este espaço pois embora não tenha nada ou quase nada de apreciável na sua envolvente, o seu interior não há palavras com que se descreva o que os nossos olhos tem a honra de nos apresentar.
 
 
Na zona mais a este da cidade vão poder continuar com a visita de inúmeras atrações turísticas tais como:
  • Palácio Real;
  • Camp Nou (estádio FC Barcelona);
  • Plaça de Espanha;
  • Fonte Mágica de Montjuic;
  • Palacio Nacional de Montjuic;
Na zona mais a oeste da cidade vão poder continuar com a visita de inúmeras atrações turísticas tais como:
 
  • Museu de Historia da Catalunha;
  • Port Vell;
  • World Trade Center;
  • Torre de AGBAR;
  • Port Olimpic;
Como podem concluir são inúmeras as coisa que esta cidade nos tem para mostrar e enriquecer a nível cultural, por isso tentem gerir o vosso tempo da melhor maneira dividindo a cidade em quatro áreas (Norte; Sul; Este e Oeste) e utilizando um dia para explorar cada uma delas.
 
Tenham uma ótima estadia e Boa Viagem...

15 abril, 2013

Madrid

Esta é uma cidade ideal para quem quiser fazer uma escapadela de fim de semana sem gastar muito ou gastando muito pouco, como assim entenderem.



 Os acessos são de excelência, tendo logo na chegada ao Aeroporto o metro no interior do próprio aeroporto (apesar de como o aeroporto é bastante comprido ainda tem que se fazer uma pequena caminha), e com a facilidade de se poder comprar um passe turístico que permite durantes o dias adquiridos viajar em todos os transporte públicos e entrar nas principais atrações turísticas sem gastar mais por isso.



 Tal como qualquer outra capital é mais uma com muito para se visitar, e para os aficionados de futebol podem visitar um dos palcos onde melhor futebol se pratica os estádio do Real Madrid, onde podem vislumbrar todas as excentricidades que este clube tem, desde os melhores jogadores de todos os tempos, e para quem é português sentir-se orgulhoso pelos nossos jogadores que lá passaram, bem como ver todos os trofeus, e espaços que estas mesmas Estrelas do futebol ganharam



Após concluir a visita este palco do futebol e apanhando mais uma vez o metro, (transporte de fácil compreensão e que nos leva a todo o lado) nada como regressar ao centro de Madrid, mais concretamente á Porta do Sol e daí fazer a pé o percurso para a Praça Mayor, esta praça ladeada por arcadas é o coração da Madrid, no centro histórico da cidade. Localiza-se num dos bairros de maior encanto, repleto de ruas pequenas e passagens cheias de historia. Próximo também temos o Palácio Real, esplêndida residência, ricamente decorada, pertencente aos monarcas espanhóis.


Numa paragem para comer alguma coisa ou mesmo fazer uma refeição (Almoço, Lanche ou Jantar) não pode deixar de visitar o Mercado de San Miguel, um mercado com um conceito completamente diferente do que estamos habituados em Portugal, mas que nos fascina pela inovação e produtos a serem comercializados (foi lá que pela primeira vez provei Caviar nas famosas Tapas).



Alem dos locais referenciadas, não deixem de visitar locais como:
  • Parque Del Retiro;
  • Fonte de Cibeles;
  • Monumental Praça de Las Ventas;
  • Madrid Río (onde podem também visitar os estádio do Atlético de Madrid);
  • Estação da Atocha;
Podem fazer tudo isto num curto espaço de tempo e de forma low-cost, como já tinha referenciado, basta fazer uma pequisa da viagem na companhias de voos Low-Cost ( ryanair, vueling, iberia, etc..) e reservar um hotel, ou até mesmo um hostel, pois é uma cidade com uma vasta oferta nesse sentido com uma ótima relação qualidade/preço, pesquisando por o Booking ou Hostelworld.

 Não fiquem só pelas imagens, pesquisas de conhecimento, e vejam com os próprios olhos.

22 janeiro, 2013

Ilha da Madeira

 
Ilha da Madeira, viagem decorrida de 18 de Janeiro de 2013 a 21 de Janeiro de 2013.
 
A estadia foi curta e mas suficiente para poder visitar e conhecer o que de mais belo a ilha tem. Fiquei hospedado mesmo no centro do Funchal, numa pensão bastante acolhedora e com tudo o que é preciso para quem tem como principal objetivo explorar a ilha, não dando grande relevância ao luxos da hospedagem tirando uma cama confortável e uma casa de banho limpa para poder tomar um banho depois de um dia de caminhadas e exploração.
 
O nível de vida não é nada ou quase nada diferente do que estamos habituados no continente, logo por aí podemos excluir o fator económico para nos poder impedir de visitar a Ilha da Madeira. O clima esse é um fator que nos convence e apesar de ter viajado no mês de Janeiro, e enquanto no continente os portugueses passavam por um pequeno diluvio da natureza, eu na ilha só não peguei em calções porque não os levei comigo pois o tempo estava mesmo convidativo para isso, com temperatura a rondar os 25ºC.
 
 
Como estava hospedado próximo do famoso Mercado dos Lavradores, comecei mesmo por aí a minha visita, onde apesar de ser apenas um mercado como tantos outros, este distingue-se pela fruta tropical  os vegetais e as muitas especiarias, que dotam de novos aromas todo o espaço. Outra das características mais graciosas deste Mercado dos Lavradores é a tradição e folclore que ainda subsiste, sendo possível encontrar muitas vendedoras trajadas com o típico fato madeirense, pleno de cores vivas, alegria e tipicidade.
 
De seguida dirigi-me até próximo da marina do Funchal onde aí pode comprar um bilhete de autocarro turístico com validade de 2 dias e que se torna bastante importante para nos poder levar a todos os pontos turísticos da Ilha sem ter que nos perder ou fazer transbordos que nos levem a perder tempo necessário para explorar a Ilha. O autocarro passa de 20 em 20 minutos e podemos sair e voltar entrar no próximo sem qualquer problema ou ter que pagar mais por isso. Um dos locais que eu aconselho vivamente a visitar é a localidade de Camara de Lobos, localidade de pescadores e com uma vista para o exterior da ilha fenomenal, se poderem também aproveitem esse local para almoçar junto ao porto dos pescadores nas mais variadas esplanadas que dispõem, e provando algumas das especialidades gastronómicas da Ilha. 
Com este bilhete de autocarro consegui assim visitar quase toda a margem sul da Ilha saindo do autocarro em todos os locais mais emblemáticos que eu Encontrava na Ilha.
 
 
Santana é uma cidade conhecida por manter as suas tradições das casas típicas triangulares, bem como por preservar o seu património tanto o natural, onde existem antigas e belíssimas levadas, como todo o fulgor natural quase selvagem da Ilha da Madeira.
 
 
 
Para finalizar a visita nada melhor que uma viagem de teleférico para melhor observar a beleza da cidade e sua envolvente, podendo optar pelo teleférico que liga o Monte ao Jardim Botânico ou ao centro da cidade. Uma vez no Monte, uma volta no “carro de cesto” ou “tobogã”, é obrigatória: num terreno bem inclinado, os viajantes sentam-se numa espécie de cestos de vimes com rodas, conduzidos por dois homens, que os empurram velozmente ladeira abaixo, pelo coração da cidade, plenos de emoção e adrenalina.
 
 
 
O “carro de cesto” ou “tobogã”, é sem dúvida o meio de transporte mais típico da Madeira.
 
Em suma deixo uma pequena orientação de como tudo isto pode ser possível de realizar de Forma Low-Cost:
 
1º - Adquirir a Viagem através das companhias Transávia ou Easyjet; (não obstante em pesquisar em alguns motores de busca tais como JetCost, Logitravel, Edrams, etc)
 
2º - Reservar Hotel ou Residencial através do Booking, uma vez que este tem grande parte dos hotéis que te permitem fazer a reserva e pagar apenas quando chegas ao hotel.
 
3º - Comprar os bilhetes de autocarro turísticos online ou localmente das companhias Yellow Bus ou City Sightseeing
 
4º - Comprar bilhete de teleférico http://www.telefericodofunchal.com/
 
5º - Aproveitar o tempo ao máximo para tirar partido do melhor que a Ilha da Madeira tem para lhe oferecer.
 
 Não esqueça também que agora pode visitar o Museu do Cristiano Ronaldo, atração que infelizmente ainda não estava concluída e que não consegui visitar.