18 novembro, 2016

BUDAPESTE - O Tesouro Imperial da Europa Central


Sem duvida é uma cidade que me fascinou e surpreendeu pela positiva, quer na sua arquitectura, historia, cultura e sem poder esquecer a sua gastronomia. 

Vou tentar ser rápido e objectivo, pois desde já te digo que Budapeste não tem muito que se falar, mas sim muito que ver, apreciar, gozar e ainda mais, tem muito para se degustar.










BUDAPESTE - O Lado Buda à Noite


BUDAPESTE - O Lado Buda à Noite



BUDAPESTE - O Lado Buda à Noite


 BUDAPESTE - A Basílica de São Estevão


BUDAPESTE - O lado Peste de dia


BUDAPESTE - Castelo de Buda


BUDAPESTE - O lado Peste de dia


BUDAPESTE - Castelo de Buda


BUDAPESTE - Bastião dos Pescadores


BUDAPESTE - Szechenyi lanchid - Ponte das Correntes


BUDAPESTE - Shoes on the Danube Bank


BUDAPESTE - Shoes on the Danube Bank
BUDAPESTE - Turista Pé Descalço


BUDAPESTE - Parlamento Húngaro


BUDAPESTE - Parlamento Húngaro


BUDAPESTE - Ponte da Liberdade


BUDAPESTE - Ponte da Liberdade - Eletrico


BUDAPESTE - Ponte da Liberdade- Turista Pé Descalço


BUDAPESTE - Ponte da Liberdade 

BUDAPESTE - Praça dos Heróis


BUDAPESTE - Hungarian National Museum
BUDAPESTE - Castle Hill Funicular

Estas são apenas algumas das fotos que consegui reunir de quase 1200 fotos que tirei a quando a minha viagem em Janeiro de 2016, e sendo mesmo sincero não foi facil escolher as que melhor podia representar o quão fantástica foi a minha viagem, mesmo apesar de ter ido no inverno e ter apanhado temperaturas a baixo de 0ºC.

Aproveitando que você próximo ao rio, não deixe de fazer um passeio de barco. Há diversas empresas oferecendo este serviço. Alguns passeios são rápidos ou então os mais longos com direito a refeições.




A gastronomia húngara é rica em aromas e sabores picantes. Os pratos da cozinha húngara baseiam-se no uso de ingredientes como vegetais (alho, cebola, pimento, batata…), queijos, carnes e enchidos. O salame feito na região de Szeged é um dos enchidos mais famosos do país

Autentico goulash húngaro. O prato mais típico da Hungria e o mais conhecido internacionalmente é o goulash, um guisado preparado à base de carne (de porco, boi, lebre, borrego…) acompanhado de batatas, cebola, pimentos e repolho e condimentado com paprika. 

Pratos tradicionais da Hungria. Outros pratos típicos húngaros são: Pörkölt (pedaços de carne com um caldo de pimentão e outras especiarias), Halászlé (sopa picante de peixe), Hurka (especialidades caseiras de porco), Fogasch, Libamáj (fígado de ganso), Lecsó (pimentos fritos com cebola e batatas), Debreziner (salsichas), carnes e peixes ao estilo Kárpáthy, Lángos (pão frito), etc. 

Vinhos da Hungria. Os vinhos húngaros mais populares são o tinto Bikavér, o Egri Bikavér, o vinho doce Tokaji.
As cervejas, as mais famosas são a Dreher e a Bordosi. E quanto aos licores, os mais populares são o Palinka e o Unicum, uma bebida digestiva muito amarga.





Não sei de que parte do Mundo irá ser a tua partida, mas de qualquer das formas e pelo que já dei a entender na introdução ficas a saber que aqui o teu destino vai ser a capital de Budapeste, na Hungria.
e vou-me basear no meu exemplo com partida de Portugal, mais concretamente do Porto.

Das companhias aéreas Low-coast mais conhecidas (Ryanair, Easyjet, Transáva, Wizzair, etc) nenhuma tem ligação directa para Budapeste, de nenhum aeroporto português. Pelo que te sugiro que vás para uma pesquisa na Lufthansa, ou na TAP em que o mais certo será fazer uma escala em Frankfurt e só depois sim vais para Budapeste. Normalmente aqui terás um custo de 170€ a 200€, mas tens uma boas condições de voo, garantias e seguros nas ligações caso existam atrasos refeição a bordo, coisas à turista capitalista, mas que só viaja em Low-coast.

Depois de aterrar é que vai começar a verdadeira diversão.

A linha do metro é muito fácil de se usar, no entanto um conselho que te dou é de cada vez que queiras ir para algum lado nos transporte públicos escreve ao lado ou sublinha a paragem em que tens que sair ou as que tens de fazer trocas de linhas.

Para te dirigires para o centro da cidade, à chegada do aeroporto tens que apanha um género de comboio/eléctrico/tram em direcção a KOBANY KISPEST (Nº 200E), uma pequena informação de que o bilhete que tiraste até aqui já não serve para a linha de metro. Depois de chegar a KOBANY KISPEST, tens o metro que como já referi tem um acesso e facilidade de circulação muito bom e que te permite andar de um lado para o outro de uma forma pratica e económica.



No que diz respeito á estadia, em Budapeste isso é uma vantagem, pois uma vez que tem um nível de vida "inferior" ao nosso (Português) as estadias são relativamente económicas então achei que foi muito fácil encontrar algo que se encontrasse dentro do meu orçamento Low-coast.

Só acabei por dificultar um pouco a minha pesquisa, pois com fiz a minha viagem no inverno não quis arriscar em me alojar num local mais simples e básico devido ao frio e aconchego que me poderia proporcionar. Mas mesmo assim posso vos dizer que fiquei alojado mesmo no centro da cidade num hotel de 3 estrelas muito bem equipado e arranjado, muito mais que aquilo de que eu estava á espera. Se quiserem seguir a dica o hotel é o Hotel Central Basilica Budapest que durante a minha estadia de 3 Noites e 4 Dias paguei apenas 160€ com direito a pequeno almoço.




Espero com isto ter sido útil para te proporcionar a oportunidade de conhecer BUDAPESTE, se mesmo assim ainda ficaste com duvidas podes sempre deixar o teu comentário e as mesmas deixaram de ser duvidas e passaram a ser informações. 😎

Agora tu, aproveita a vida sonhando em viajar e viajando para te libertar, e lembra-te
o mundo é muito grande para a gente ficar sempre no mesmo lugar.